Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Maturidade Autor(a): Wanda Tiezzi - Conheça esse autor
História publicada em 12/03/2012
Ah! Maturidade, quão bela és!

Notem bem, não estou falando de idade.

Deus fez tudo tão bem que deixou em todos nós aquela criança que um dia jogou bola, rodou pião, jogou bolinha de gude (eu tinha dois irmãos mais velhos, então meu pai cimentou a calçada da minha casa, na vila em que morei, fazendo os buracos para jogar), eu também aproveitei e joguei minhas bolinhas de gude, quando eles deixavam. Crianças (meninas) que brincavam de boneca: na minha primeira coloquei o nome de Bruxa, pois era de pano, vivia sujinha de tanto eu carregar pra lá e pra cá, mas eu a adorava.

Passou um tempo e ganhei uma boneca que parecia de louça, mas na realidade era de papelão pintado. Minha prima, que tinha melhores condições financeiras, ganhou uma boneca que "tomava água e fazia xixi". Resolve ela dar água para a minha "filhota" e a cabeça literalmente caiu. O papelão não resistiu e caí no choro de tanta mágoa.

Do pega-pega ao esconde-esconde; tocar campainha nas casas e fugir; brincar de cantora e de Capitão Sete, como me lembro! Eu queria sempre ser a Silvana cantora (sofri, mas mesmo assim eu fui feliz...) e a Idalina de Oliveira que era a namorada do Capitão.

Mais adolescentes passamos a conviver com os bonzinhos e os pestinhas, com os que azucrinam a vida de outros e os que choram por isso.

E haja conversa com pais, irmãos mais velhos, avô e avó (eu não tive, mas muitos tiveram), até começarmos a entender que infelizmente nem tudo é tão cor de rosa na vida. Às vezes ficamos com medo de ir à escola, pois tem aquele e também aquela valentona que diz:
- "Vou te pegar na saída" - dá um frio na barriga que só quem passou por isso sabe.

Mas crescemos, vem a fase adulta e tudo isso que passamos forma a nossa maturidade.

Se você teve carinho, boa orientação (eu tive), vai ser um "maduro" feliz, otimista, sempre olhando tudo pelo lado melhor.

Infelizmente quantos não tiveram isso e seguiram por caminhos muitas vezes nebulosos.

"Bateram cabeça" mais do que o necessário para aprender que a malandragem da vida é ser bom consigo mesmo, com seus iguais, interagindo com o universo em geral.

Não vamos colocar toda culpa por frustrações e imaturidade (existentes em várias pessoas), na criação dada pelos seus pais. Afinal, em uma determinada fase de nossas vidas, já seguindo os próprios passos, tivemos oportunidade de analisar situações, fazer escolhas, peneirar opiniões, até chegar à nossa própria.

Os pais também são seres humanos que erram e acertam. Também vieram de educações dadas por pessoas diferentes, por isso não são perfeitos, como ninguém é.

Aí é que vem a tal da maturidade, que é o bom senso para se lidar com a diversidade de emoções existentes no ser humano.

Há de se ter muito "jogo de cintura" para preservar amores, amigos, para se criar filhos, lidar com os "chefes".

Necessário será se colocar na condição de espectador, a fim de saber separar com cautela razão e coração, na hora de se tomar uma atitude.

De modo geral a maturidade nos traz ensinamentos tão profundos que nem a melhor das faculdades trará. Se assim fosse, no tal primeiro só existiria gente boa e educada e sabemos que isso é utópico.

Basta que se tenha disposição para observar, aprender e querer ser feliz na vida e a maturidade virá com todo seu esplendor.

E viva a maturidade, com toda paz de espírito que ela nos proporciona.


E-mail: wandatiezzi@hotmail.com
E-mail: wandatiezzi@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 13/03/2012 Oi Wanda, que lindo texto. Me senti envolvido como se estivesse num abraço carinhoso de alguém muito querido. Um texto que me pareceu um bolo de fubá cheiroso que só nossas avós faziam e que comemos devagar para ter a impressão que não vai acabar nunca. Grande abraço. Enviado por Hugo Morelli - hugo.morelli@hotmail.com
Publicado em 13/03/2012 Wanda, seu texto, salpicado de eventos pessoais, num bem distribuido grupos de parágrafos. Conclue-se que, pra se tentar atingir a perfeição, (que é impossível)chega-se bem perto, o que é bem provável. Òtima sua rezenha, Tiezzi, parabéns.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 13/03/2012 Boa crônica sobre a Maturidade,partindo das vivências e brincadeiras da infância,adolescência e até a vida adulta.Parabéns pela visão sábia e reflexões.Um abç Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - anamarisribeiro@ig.com.br
Publicado em 12/03/2012 Wanda. Eu acho que sempre estaremos aprendendo e a tál maturidade nunca bastará para enfrentarmos as vicissitudes quase que diárias; as surpresas. Gostei muito do texto. Diz muito de você. Abraços. Anthony. Enviado por Anthony Mennitto - mennitto@comcast.net
Publicado em 12/03/2012 Mais Wandinha, está me saindo uma bela de uma escritora.....quem diria.....achou o seu caminho. Todos estão lindos e a riqueza de detalhes é q me faz viajar, nesse nosso lindo tempo, que ja se foi...mais ainda é né??? Beijos!!!!!!!!!!! Enviado por Myriam - myriam_montanati@yahoo.com.br
Publicado em 12/03/2012 EU TENHO 75 ANOS BRINCO COMO CRIANÇA,CANTO ,DANÇO SONHO COMO ADOLECENTE,SOU UMA PESSOA COM PAZ DE ESPIRITO , MIO BABO DIZIA PARA SER FELIZ SO TEM UM SEGREDO, SER BOM.COM MATURIDADE OU SEM O IMPORTANTE È O AMOR ,VIVER COM OQ A VIDA NOS OFERECE.AFINAL NOSSO DIGITAL È DIFERENTE,E AMAR OS DIFERENTES È O CAMINHO DA MATURIDADE.BEIJOSS. FIQUE COM DEUS Enviado por maria pia tiezzi mirabella - maria_pia21@live.com
Publicado em 12/03/2012 Wanda,é isso aí, a maturidade é um processo e ocorre lentamente nas pessoas. Que ela venha com todo esplendor.Um abraço. Enviado por margarida p peramezza - peramezza@ajato.com.br
Publicado em 12/03/2012 Ótimo seu texto, Wanda! Você escreveu sobre tudo desde a infância até a maturidade (mesmo que tardia). Ela tem muito a ver com os valores que nos foram incutidos e aqueles que fomos adquirindo. Parabéns Enviado por Lia Beatriz Ferrero Salles Silva - lia.ferrero@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »