Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Reflexões Autor(a): Wanda Tiezzi - Conheça esse autor
História publicada em 22/12/2011
Prezados amigos que também escrevem suas histórias por aqui e que me deram o privilégio de ler e comentar duas histórias minhas (Bons Tempos, quando escrevi sobre o Caetano de Campos e Iluminada, onde contei pequenas passagens da minha vida no bairro do Bexiga, onde nasci).

Escolhi esse título não por ser final de ano, pois já não me preocupo mais com o fato de realizar certos compromissos comigo mesma, nem tão pouco sinto culpa por isso, só porque o ano está terminando. Para mim, cada dia é único e o melhor é vivê-lo de maneira feliz, fazendo aquilo que eu tenho vontade de fazer.

Sou otimista por natureza e me recuso a deixar que certos aborrecimentos me transformem em uma pessoa amarga, mas é inevitável a todos nós "mortais" que de vez em quando isso aconteça.

Daí o título escolhido. Talvez pelas experiências já adquiridas, pela maturidade alcançada, entramos no nosso "casulo" e começamos a questionar aspectos da vida de uma maneira geral.

Os seres humanos têm sentimentos iguais, porém o que os diferencia é a intensidade com que cada um lida com eles. Esse é o motivo de tantas discordâncias, tantas inimizades, tantas amarguras.

Fico me perguntando várias vezes e acho que vocês também: para que correr tanto, para que tanta ansiedade? Claro que aqui em São Paulo não é fácil manter o equilíbrio. Mas de maneira geral, as pessoas estão sempre vivendo o amanhã. E se amanhã acabar tudo, como todos os dias para várias pessoas acaba?

Notem bem: não sou contra correr para alcançar objetivos, ir atrás de melhores condições financeiras, muito pelo contrário, dinheiro é bom e todo mundo gosta. Ninguém tem que se sentir culpado ou achar que vai "perder o reino do céu" por querer ficar rico (ou mais). Mas, convenhamos, há pessoas tão gananciosas que têm a necessidade de ter dinheiro até a 20ª geração. O que será que elas pensam? Se houver só essa vida o que sobrar quando não estiverem mais por aqui vai ficar para outros e se houver reencarnação não há garantia nenhuma, ou melhor, é quase certo que essa mesma pessoa não vai recuperar o dinheiro que ficou na vida passada.

Por isso não consigo entender o porquê de tantas falcatruas, tanta sede de poder, tanto egoísmo e soberba de alguns, quando tanto poderia ser feito em benefício dos mais necessitados.

Em se tratando do nosso país, com um potencial imenso, povo caloroso, receptivo, já imaginaram que maravilhoso seria poder contar com sistema de saúde, educação e segurança bem administrados?

Resumindo: a gente corre tanto na vida pra chegar à conclusão de que o que queremos mesmo é uma bermuda confortável e um chinelo de dedo, coisas que custam tão barato tanto para o pobre quanto para o rico.

Eu sei que não escrevi nada de original e que vocês também já pensaram em tudo isso. Apenas quis compartilhar com vocês minhas reflexões.

Continuo me sentindo uma pessoa feliz, achando que devemos viver nossas vidas da melhor maneira possível, sem querer complicá-las mais do que o necessário.

Aproveito para desejar a todos um Natal pleno de paz e um Ano Novo com muito amor e prosperidade.

Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações


E-mail: wandatiezzi@hotmail.com E-mail: wandatiezzi@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 22/12/2011 Wanda, parabéns pelo belo texto, pois ele carrega exatamente o que penso; e ainda acrescentaria que na simplicidade há mais felicidade.
Um Natal e Ano Novo muito felizes.
Niderce Teresa
Enviado por Niderce Teresa - niderceteresa@bol.com.br
Publicado em 22/12/2011 Wanda, concordo com vc em tudo que foi escrito. Com relação à política, penso que a pessoa tem que ser aceita pelo partido no qual ela quer se filiar.Eles estudam seu comportamento, verificam se é corruptível e aí eles o aceitam ou não. Acredito que é por isso que todos políticos são iguais. Somos felizes porque almejamos aquilo que "podemos" e temos a consciência tranquila. Tudo de bom para você!
Fico feliz ao tê-la como colega!
Enviado por Lia Beatriz Ferrero Salles Silva - lia.ferrero@hotmail.com
« Anterior 1 2 Próxima »