Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Avenida Limoeiro do Norte Autor(a): Regis de Paula - Conheça esse autor
História publicada em 03/08/2011
Foi sob o céu de Vila Formosa que eu cresci. Naquele bairro onde as pessoas trocavam cumprimentos, chorei, sorri, sonhei e gastei as plantas dos pés correndo atrás de uma bola.

E tantas foram as pipas erguidas e perdidas debaixo do vasto céu de Vila Formosa.
Jamais me esquecerei da feira-livre próxima à Avenida Renata, que, no início dos anos 80, passou a se chamar Avenida Limoeiro do Norte causando tremenda confusão à população, já que logo voltou a se chamar Avenida Renata.

E quanta saudade do meu carrinho de rolimã, dos carretos na feira, do vai-vem na catação de ferro-velho.

Quanta saudade daquele sábado em que juntamos alguns trocados ganhos graças ao carrinho de rolimã e rumamos para a Rua Javari, eu e o João. Assistimos a partida entre Juventus e Marília e nos divertimos muito! À noite vestimos as nossas melhores roupas e fomos à Praça Sampaio Vidal. Botei meio pote de gel no cabelo e me senti o James Dean.

Na casa de massas Grupo Sérgio, enchemos os nossos narizes com refrigerantes e pizzas. Lá estava Nilceia a formosa, tão formosa quanto a própria Vila Formosa; outra rodada de refrigerante enquanto ela e eu trocávamos olhares e sorrisos pueris. A emoção era tamanha, estando sentado à sua frente nem me dei conta da conta. O garçom franziu a testa e torceu o nariz, se retirou com o bloquinho de pedidos, voltou, passou-nos um sermão e nos deixou ir. Trêmulos e envergonhados, descemos pela Avenida Renata, nem sequer me despedi de Nilceia, a formosa.

Hoje, tudo é lembrança, contudo creio que muitas pessoas até se esqueceram que um dia a Avenida Renata passou a se chamar Avenida Limoeiro do Norte. Eu me lembro bem, pois ali, na Avenida Renata, morava Nilceia a formosa, tanto quanto a própria Vila Formosa, aliás, os meus dois primeiros amores.


E-mail: regisdepaula@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 30/05/2012 Caro Regis, moro há exatos 42 anos na vila mais Formosa de São Paulo e juro que não me lembro de que a Avenida Renata um dia foi mudada para Limoeiro do Norte. Vim para São paulo, mais precisamente na vila Formosa, no dia 15 de janeiro de 1970 e nunca mais sai, vindo do interior e me apaixonei pela Formosa quando desci do velho caminhão que nos trouxe com mudança e tudo. Me lembro do Ninos Hamburquer, do verdadeiro Buraco Quente que hoje não é mais quente como antigamente; Ginásio Estadual de vila Formosa; Equipe Morcego; saudades da feira de domingo que começava na Saigo e termina na porta da minha casa na Av. Eduardo Cotching; quanta saudade. Enviado por Carlos - c.aito@hotmail.com
Publicado em 09/10/2011 ahhh, caro Regis...me lembro bem deste episódio da mudança de nome da av. Renata. Na mesma época mudaram o nome da Rua Zina para Dom Estevão Pimentel, lembra. E eu nasci e me criei na esquina da Montemagno com a antiga Rua Zina. Hoje moro no Rio de Janeiro, mas minha amada mãe ainda mora por ali, onde vou algumas vezes por ano. Amo a Vila Formosa e um dia volto para lá. Enviado por Celso Stevanatto - celsostevanatto@ig.com.br
Publicado em 08/08/2011 Apego ao bairro em que nasceu, sinal de felicidade e saúde. Bem contada história sobre Vila Formosa, parabéns, de Paula.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »