Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Recordações do Grupo Escolar Doutor Murtinho Nobre Autor(a): Roberto Parton - Conheça esse autor
História publicada em 04/10/2010
Nossa, lá se vai mais de 40 anos, quando fiz naquela época o que se chamava primário no Grupo Escolar Doutor Murtinho Nobre. Lá tinha o "prézinho", depois com sete anos íamos para o primeiro ano. Lembro-me até hoje, e falo para os meus filhos da Professora Dona Benedicta, do primeiro ano, quem me ensinou a escrever, ler, enfim todo o começo. Sou muito grato a ela e a todas as professoras com as quais fui aluno.

Geralmente todos os meus amigos da rua em que morava, Rua Clodomiro Pereira, estudavam na mesma escola, porque escola particular era muito cara, e o ensino Estadual era equivalente, não havia necessidade de outra. Na saída era aquela folia, todo mundo subindo a Rua Ouvidor Portugal até chegarmos em casa. Ninguém pegava ônibus, perua escolar, nem existia. Era assim, tudo simples, normal.

O recreio, isso já no quarto ano primário era separado, meninas de um lado, meninos do outro. A gente ficava do nosso lado tentando se aproximar da menina que a gente queria falar, namorar, mas a Dona Carmela, grande Dona Carmela, tinha um sino. Sino esse que batia insistentemente para avisar que a hora do recreio terminou. Ela tomava conta da gente, era muito esperta e viva, não permitia de jeito nenhum que nos misturássemos. Depois, com o tempo, o recreio passou a ser livre, acho que na mesma época em que começaram as classes mistas, porque antes eram só meninos ou só meninas.

Dona Carmela abria a Escola, esperava todos entrarem, e fechava o portão. Ninguém mais entrava, ela era rígida no horário, cuidava da gente como se fosse nossa mãe, repreendendo, ensinando, e nós obedecíamos, afinal ela era muito "forte e grandona". Não só por isso, mas porque tínhamos sido ensinados a respeitar todos dentro da Escola, seja quem fosse, e a Dona Carmela era uma simples servente, mas lidava com todos como se fosse a diretora, e fez isso muito, muito bem.

Tempo que não volta mais, tenho muita saudades de tudo isso, era maravilhoso. Hoje ainda tenho amizade de alguns amigos que viveram nesta época e nos lembramos como foi boa a nossa infância na Vila Monumento. Brincávamos muito com carrinho de rolimã na descida da Rua Antonio A. Covelo, descendo pra Barroca e indo até os fundos do Hospital Militar. Às vezes tínhamos que sair correndo, porque vizinhos queriam pegar o carrinho, pois fazia muito barulho no asfalto. Mas fazia parte, era muito legal, apesar do perigo que, é claro, a gente nem ligava. Ninguém se feriu com carrinho de rolimã, salvo às vezes uns arranhões, normais no carrinho.

Tudo isto foi nos anos 60 a 70, época de ouro, abraços a todos.


E-mail: robparton@terra.com.br E-mail: robparton@terra.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 08/06/2014

Procurando velhos amigos de infância, achei esta história que me encheu de boas lembranças. Morava na Vila Monumento, atrás do quartel, na rua Engenheiro Prudente. Também frequentei o Murtinho Nobre e todos temíamos a dona Carmela... Bons tempos aqueles. O pré-primário era num barracão e minha professora era Dona Lourdes. E se você brincava com carrinho de rolemã e ia no quartel "caçar passarinho" e ia pra Barroca é quase certeza de que conhecia meu irmão, Pepito.

Enviado por Jaqueline Gomes Navarro - jaqueline.gomez@gmail.com
Publicado em 13/04/2013 Meu Deus...d. Carmela...lembro-me bem.....prof. Lídia... Enviado por lia maria moreira - lia.morera@hotmail.com
Publicado em 13/04/2013 Meu Deus...d. Carmela...lembro-me bem.....prof. Lídia... Enviado por lia maria moreira - lia.morera@hotmail.com
Publicado em 13/04/2013 eu, lia maria s. pinto, estudei de 58 a62, morava em cina da padaria, em frente ao Murtinho, alguem daquela epoca? Enviado por lia maria moreira - lia.morera@hotmail.com
Publicado em 16/04/2012 Olá Roberto, que lembrança, sou dessa época, lembro da Dona Carmela como se fosse hoje, lembro também das palmadas nas mãos, como foi importante.
Doma Benedicta,a melhor professora junto com a Dona Egle, as melhores professoras do mundo. Foi uma época fantastica, diferente de você morava do outro lado, na Rua Maranjai, que dava para andar de carrinho de rolimã, empinar quadrado, jogar bolinha de gude, brincar de mãe da rua, jogar bola, fazer bailinhos, que tempo, que saudades. Valeu, bjs.
Enviado por Marcos Rodrigues dos Santos - mrsantos@terra.com.br
Publicado em 25/01/2012 Nasci em 1.960 e estudei no Murtinho Nobre. Quando li o nome de dona Carmela, ela apareceu completa como naquele tempo e a dona Benedicta, além da melhor professora junto com a dona Egle, morava em cima da padaria, fiz adimissão com ela. Tenho muita saudades, infelizmente não tenho relacionamento com mais ninguém, de vez em quando passo em frente a escola, só para matar saudades.
Poderiamos tentar um encontro com ex-alunos dessa epoca?
Enviado por Marcos Rodrigues dos Santos - mrsantos@grupo1.com.br
Publicado em 22/01/2012 Nossa, que surpresa... Justo hoje estava vendo umas fotos antigas e achei aquelas fotos de "Recordação Escolar" do Murtinho Nobre, e tenho minhas dos anos 1960, 61 e 62. Na de 62 aparece a Dona Lourdes. Decidi colocar o nome da escola no google e entrei nesta página. Eu morava na Engenheiro Prudente, no lado de cima do quartel. O muro do fundo da minha casa dava com o hospital militar e a capela. Que saudade!!! Vou escanear essas fotos e colocar no meu facebook. Enviado por Jaqueline - jaqueline.gomez@gmail.com
Publicado em 13/08/2011 Também estudei no Murtinho Nobre de 1959 a 1963.
Morei na Rua Heitor Peixoto e ao ler sua gostosa narrativa, lembrei de imediato da saudosa Da. Carmela, com seu sino inseparável.
Talvez tenhamos estudado no mesmo período.
Um grande abraço
Enviado por Eduardo Maggieri - repremaggieri@ig.com.br
Publicado em 04/06/2011 Não consegui ler sem que escorrecem lágrimas, de saudade, em meu rosto. Estudei na década de 80 e essa escola era maravilhosa. Minhas amigas moravam na Erculânia...que saudade. Parabéns pelo texto. Enviado por Érika Pereira - erikapereira72@hotmail.com
Publicado em 01/02/2011 Muito obrigado a todos que colocaram os seus comentários, e claro aos que leram tambem.
O prédio citado pelo Sr. Igor, realmente vimos ele subir nos fundos do muro do Murtinho, que em relação ao piso do Murtinho o Predio se não me engano era na Av. D.Pedro, mas me lembro perfeitamente disso.
E a velha Barroca, antes de ter os jardins, parquinhos, era um Vala enorme que se tinha que atravessar dividindo praticamente a Vila Monumento da Barroca, literalmente, enfim, grandes lembranças.
Enviado por Roberto Parton - robparton@terra.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »