Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Infância no Bixiga Autor(a): Regiane M. Matsuo Tijon - Conheça esse autor
História publicada em 15/07/2010
Na década de 70 vivi minha infância e melhores anos de minha vida patrocinados, evidentemente, pela Família Fiori, no Bixiga; inicialmente na Rua Santo Antonio, passando para Rua Treze de Maio, em frente à Igreja Acheropitta e, posteriormente, já com 5 anos, à Rua Manuel Dutra. Nessa ocasião minha mãe casou-se e nos mudamos para o interior, onde permaneço e exerço minha profissão na advocacia, embora não deixe de frequentar meu bairro do coração.

Apesar de só me restar a presença da madrinha, que ainda reside no Bixiga, especificamente, à Rua Major Diogo, cada vez que adentro meio bairro, seja para visitar a Igreja Acheropitta, seja para degustar um bom vinho no Roperto ou seja para apreciar o aconchego da Família Mancini, sinto como se estivesse retornando à minha origem e renovando minha alma com a luz das lembranças ali existentes, que o tempo jamais apagará.

Fico profundamente magoada e impotente diante dos casarões antigos, sendo desmoronados pelo tempo, como se junto a eles estivessem desmoronando nossas histórias, nossas lembranças, nossas almas e nossos corações. Destarte, agradeço a todos que comigo conviveram no Bixiga e aproveito o momento, em apelo, para implorar aos representantes do Município de SAO PAULO, que não deixem nossas histórias desmoronarem.

Por Favor, cuidem do BIXIGA!!!

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 06/08/2010 Regiane, quantos belos casarões que o bairro do Bixiga abrigou e ainda restam alguns, porém em péssimo estado de conservação, o que é muito triste para nossa história. Vamos aproveitar a oportunidade para pedir socorro aos nossos governantes, para preservação de todo esse patrimônio histórico. Parabéns. Niderce Teresa Enviado por Niderce Teresa - niderceteresa@bol.com.br
Publicado em 03/08/2010 Regina, apesar das dificuldades para a manutenção do bairro, existem grandes esperanças. Uma delas reside no trabalho incansável do sr. Walter Taverna - o Primeiro Ministro do Bixiga, que tem muitos seguidores. Eu tenho nesse site um texto a respeito. Um grande abraço Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 17/07/2010 Lindo texto,também vivi no Bixiga e minha família ainda ali reside,uma boa parte dela.Festa da Achiropita,Vai-vai,Museu do Imigrante;o Bixiga traduz grande parte da memória de São Paulo.Continue escrevendo e protegendo o Patrimônio! Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - anamarisribeiro@ig.com.br
Publicado em 16/07/2010 Regiane, podem fazer o que quiserem mas o Bixiga há de permanecer para sempre em nossa lembrança, parabéns pelo seu texto, abraços, Leonello Tesser (Nelinho). Enviado por Leonello Tesser (Nelinho) - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 16/07/2010 Regiane, que satisfação receber mais uma bixiguense neste espaço.
Sou solidário a tudo que vc comenta no texto.
Aliás, vc morou na Rua Major Diogo? Eu tambem.
Sai do Bixiga só depois de casado, em 1969, mas meus pais ainda alí residiram por vários anos. Rua Major iogo, 307, ao lado do TBC e em cima do Nick Bar, e de coração nunca dalí sai.
Escreva mais sobre nosso bairro e, se quiser e puder, leia meus textos sobre o assunto neste site.
Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 16/07/2010 Regiane, nós do bixiga, com certeza, carregamos um amor indescritível desse bairro, e, onde quer que nos mudamos não o esquecemos, tal qual sua declaração de amor posta na história.Conheci todas as ruas citadas com alma de desbravador poeta.Nasci na Rua Major Diogo e la vivi até 1974.A primeira comunhão a fiz na igreja Acheropitta.O bixiga exalava amor, amizades sinceras,companheirismo a toda a prova;as ruas cheiravam as deliciosas comidas das mamas, e nos domingos a macarronada.Saudade.
Fábio
Enviado por Fábio Belviso - fabio.belviso@ig.com.br
Publicado em 15/07/2010 Amiga Regiane. Tenha a certeza de que você não está só nesta homenagem e na busca da preservação do nosso tão querido bairro. Querendo, entre em contato comigo - nel.som55@yahoo.com.br. Além de mim, outros colegas do site também estão imbuídos nesta luta. Abraços, Nelson. Enviado por nelson de assis - nel.som55@yahoo.com.br
« Anterior 1 Próxima »