Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Eterna Saudade Autor(a): Roberto Tadeu Klemes Bacco - Conheça esse autor
História publicada em 21/09/2009
Nasci e fui criado na Pompéia em 1953, à Rua Barão do Bananal, 1284. Hoje a casa não existe mais, no local construíram um prédio. Era um bairro onde a colônia italiana predominava, mas São Paulo já era a esquina do mundo, e na Pompéia não era diferente, meus amigos eram de origem libanesa, grego judeu, grego cristão, espanhol, alemão, húngaro e japonês, não tinha e nem se pensava em preconceito, éramos todos iguais e unidos, inclusive as famílias. Minha infância não poderia ter sido melhor, meus amigos, as brincadeiras de rua, que já não existem mais infelizmente, pois televisão só assistíamos a tardezinha e era mais desenhos animados, alguns seriados e a noite Reporter Esso e novela. Ainda assim sobrava tempo para conversa entre vizinhos à noite, aquilo era um ritual e não faltava assunto. Estudei no Grupo Escolar Clóvis Beviláqua, quanta saudade das professorinhas, Colégio Mauro de Oliveira, que saudade da Stella, estudamos violão juntos. Depois fui para o Liceu Tiradentes e Colégio Campos Salles na Lapa. Já na adolescência formei um conjunto de rock chamado "The Black Birds", aliás, como já disseram em comentários, a Pompéia foi um celeiro de bandas, donde saíram vários músicos que atuam até hoje. Ensaiávamos todo fim de semana na garagem de casa. Fazíamos Shows na escola, na biblioteca da Vila Romana, na Rua Sepetiba, onde ficou um pedaço do meu coração, quanta saudade da Marta. Dos integrantes do conjunto, eu guitarra solo, Tuta bateria, Vicente guitarra base e Wilson baixo. Só restam: eu e o Wilson que mora na Rua Aimbere, o Tuta e o Vicente lamentavelmente já faleceram. Frequentava o Dólar Furado, onde comi o primeiro x-burger, o Arauto, o Salazar o cine Astral, o cine Pompéia, só para bagunçar. Hoje moro em Curitiba tenho dois filhos, mantenho contato com alguns amigos da época, minha mãe e minhas irmãs moram em São Paulo na Pompéia e Vila Romana.
Está ai um pouco da minha história, no meu bairro Pompéia e na minha querida cidade de São Paulo.

E-mail do autor: roberto.bacco@gmail.com
E-mail: roberto.bacco@gmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 03/11/2014

GRANDE Robertinho! Vc lembrou bem desse tempo incrível, quando o ar era limpo e o sexo era sujo... Em que passávamos as tardes de sábado ensaiando ou tocando, fosse The Black Birds, Os Diamantes ou Casinho e o Assombro Trio... Eu parei por um longo tempo, criei as filhas, fiquei barrigudo, etc. E recentemente, junto com o Ademir, voltei a tocar. Bom, como disse Lulu Santos, que aliás, tem mais ou menos a nossa idade, nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia, mas mesmo assim, fazemos um som legal. E estamos esperando uma vinda sua prá SP para curtirmos de novo esse som, do jeito que já um dia! Abração, meu bom amigo ! Sé

Enviado por Sé - s.bergamini@ig.com.br
Publicado em 05/06/2010 Olá Robertinho, como voce era chamado por nós colegas de grupo, espero que voce esteja bem.Acho que voce vai se lembrar de mim, pois, a meu avô Mario Malagoli era vizinho do seu pai na Rua Barão do Bananal 1290.Estudamos juntos no Clovis Bevilaqua.Eu ainda moro no bairro e continuo trabalhando na Rua Cajaiba esquina com a Barão do Bananal.Tenho tido noticias da sua familia pela sua irmã Fátima.Vivemos momentos inesquecíveis naquele pedaço entre a Cajaiba e Guiará.Um grande abraço.Luiz Malagoli. Enviado por Luiz Roberto Malagoli de Mello - luiz@malagoli.com.br
Publicado em 28/09/2009 Sr.Bacco, está aí sua homenagem aos Pompeanos e aguardamos outros relatos com os "aprontos" de rockeiros irados do Black Birds. Abraço. Bernardi. Enviado por Ernesto Bernardi - ernestob1144@gmail.com
Publicado em 26/09/2009 Sabe Roberto é muito gostoso sentir paixão e saudades pelos lugares onde nossas bases se encontram.Um dia eu fui morar na cidade de Penha em Santa Catarina, morei lá por quase 20 anos , mas a saudades me venceu, estou de volta há 5 anos, pois além da minha família eu amo a minha querida São Paulo. Enviado por carlos heiffig - carlos.heiffig@terra.com.br
Publicado em 22/09/2009 Bacco,como a família, a célula mater de uma cidade é o bairro.Bairros como Pompéia, meu bixiga fizeram esse espetáculo que é São Paulo.Como você convivi com japonês, italiano, espanhol, negro, judeu e como você nunca existiu o sentimento negativo de preconceito que tanto abala os dias atuais.Todos interagiam de forma amigável e respeitosa.Viva Pompéia.Viva os bairros com sua gente, escolas, cinemas,empórios.
Belo relato.
Parabéns.
Enviado por Fábio Belviso - fabio.belviso@ig.com.br
Publicado em 21/09/2009 Feliz quem tem passado saudoso e mais feliz, ainda quem sabe e relembra passagens tão gratificantes como vc, Roberto. Abraços e parabéns.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@terra.com.br
Publicado em 21/09/2009 Amigo Roberto, paulistano que mora longe tem mesmo momentos nostálgicos, porque o magnetismo de São Paulo é muito grande. Sua Vila Pompéia continua linda, e, é meu desvio obrigatório para sair do trânsito louco quando vou do centro para a Lapa. Parabéns e bem vindo ao SPMC. Rossi. Enviado por antonio rossi dos snatos - rossi@valoneadv.com.br
« Anterior 1 Próxima »