Leia as Histórias

Categoria - Personagens Pintadinho do Braz Autor(a): Domingos Ricardo Chiappetta - Conheça esse autor
História publicada em 24/06/2009

Por volta dos 50, no semáforo da Rua Jairo Góes, ao lado da Igreja Matriz do Braz, certo dia apareceu um molequinho, cabelos da cor de fogo, pintadinho o rosto de bolinhas vermelhas, com uma cesta, vendendo pirulitos. Ocorre que os motoristas, a maioria, evitavam comprar os mesmos. Mas o Pintadinho insistia, não ficava triste, nem chateado.

Não era morador do Braz, mas vinha no trem, na moita, desembarcava na estação do Braz, hoje Presidente Roosevelt, e dirigia-se para a esquina, conversava muito com os motoristas do ponto de táxi, chauffers, na época, que lhe pagavam um pão com manteiga na Padaria Ouro Preto. Mas de tanto insistir na venda, oferecendo os pirulitos, acabou caindo na graça dos motoristas, que paravam no farol vermelho, e o Pintadinho vendia, pois a insistência o fez vencedor.

Estudou no Grupo Escolar Romão Puiggari, depois na Escola 30 de Outubro, na Getulio Vargas, na época na Rua Piratininga, e tornou-se um administrador de empresas, administrando a indústria de balas e pirulitos no interior de São Paulo.

Portanto a persistência do Pintadinho, cabelo de fogo, venceu, com sua humildade e simplicidade. A cidade de São Paulo tem fatos, histórias e estórias diversas, e esta é mais uma que o bairro do Braz tem a relatar aos internautas amigos.

e-mail do autor: d.chiappetta@ig.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 28/06/2010 Nos anos 70 eu morava na Rangel Pestana e passei muito por esta esquina e tive um amigo que residiu nesta rua Jairo Goes, o Eduardo Sandrão, quando ouço as musicas da época, inevitavelmente eu relembro deste bairro inesquecível. Enviado por Carlos Rocha - carlos.rocha88@terra.com.br
Publicado em 29/06/2009 TEXTO ÓTIMO,ETNICO,ÉTICO E ECLÉTICO,SÓ PODIA SER DO NOSSO CHIAPPETA, PARABENS! GOSTOSO DE LER.

OBRIGADO

FORTUNATO
Enviado por FORTUNATO MONTONE - fortunapule@hotmail.com
Publicado em 28/06/2009 Chiappeta, o assunto abordado é por demais íntimo.
Sou do Braz, estudei no Romão, no 30 de outubro, trabalhei com fabricantes de balas, (incluxive com a Confiança que o M. confundiu lozango com elípse). Só não vendia pirulitos. Mas tinha o apelido barês, que era "perquieuse" (pintadinha). Texto adocicado com sabor de cereja. Parabéns, Domingos.
laruccia
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@terra.com.br
Publicado em 25/06/2009 Chiappeta, que relato humano! Dá gosto respirar o trabalho e a persistência dos paulistanos a toda hora e lugar. Um grande abraço da Vera Moratta. Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com,br
Publicado em 24/06/2009 Chiappeta, São Paulo dá, àqueles que batalham com honestidade e determinação, a oportunidade de sucesso seja em que ramo for. Em tempo você não tem o nome do protagonista? Parabéns. asciudeme Enviado por asciudeme joubert - asciudeme@ig.com.br
Publicado em 24/06/2009 Chiappetta, Sera que a industria de balas que ele administra é a Confiança? Quantas vezes vi aquele furgão verde Musgo,com um lozango em sentido horizontal, escrito CONFIANÇA, pelas ruas da capital distribuindo balas nos Bares e mercearias.Boas lembranças do meu Bras, dos anos, 1954-55-56. Eu que sempre fui da zona Sul. Mas estudei nesses anos no SENAI do querido Bras. Enviado por Mario Lopomo - mlopomo@uol.com.br
Publicado em 24/06/2009 Parece-me que Pintadinho do Bras ja tinha desde tenra idade a verve, o traquejo, persistencia e humildade, ingredientes necessarios para se vencer na vida.Mais uma bela Historia do Bras(z) Enviado por Etel - ebussbuss@gmail.com
Publicado em 24/06/2009 Ricardo, muito bom o seu relato. Antes a competição era menor e conseguíamos vencer pela persistência assim comoo Pintadinho. Abraços. Mirça Enviado por mirça bludeni de pinho - by_laser@yahoo.com.br
Publicado em 24/06/2009 Domingos, faltou você contar o nome do "Pintadinho". Gostaria que você contasse.
Um abraço
Enviado por Doris Day - dorisdaybrasil@gmail.com
Publicado em 24/06/2009 Chiappetta, "A persistência é a alma do negócio"
Parabéns ao Pintadinho.
Um abraço
Enviado por Bernadete Pedroso de Souza - bernadete.pedroso@norwan.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »