Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Tucuruvi e arrebaldes Autor(a): Marco Antonio (Marcolino) - Conheça esse autor
História publicada em 21/01/2008

Pouco se fala no Tucuruvi, bairro situado na zona norte da Capital, entre Santana e Jaçanã. Posso falar que, depois de Santana, o Tucuruvi é, ou era, o bairro mais importante da zona norte. Oferecia de tudo aos seus moradores e freqüentadores. Uma ida ao centro da cidade se fazia necessária só em último caso.
A grata surpresa de ler sobre o Tucuruvi veio com o Edson Menezes, no seu “Cine Valparaiso – a maior sala de projeção da América Latina” de 09.10.2007. Não conheço outra crônica que fale deste interessante bairro. Se alguém conhece, por favor...
Ao ler o Edson Menezes e o seu “Cine Valparaiso...”, é impossível, para a gente que freqüentou o Tucuruvi, ficar alheio, frio e não sentir a emoção da nostalgia daqueles anos 60, vividos naquele lugar de São Paulo...
Não morava no Tucuruvi, mas no Parque Edu Chaves. Assim o Tucuruvi era passagem obrigatória para quem precisasse comprar alguma coisa mais elaborada ou um serviço mais raro, ou mesmo para quem ia a Santana ou ao Centro da Cidade. O fato é que os dois bairros onde mais vivi foram o Jaçanã e o Tucuruvi. O Tucuruvi tinha seus encantos. Sempre gostei de cinema, assim os meus refúgios eram o Coliseu, os cinemas do Tucuruvi e os de Santana. Era gostoso, sábado a tarde, pegar o ônibus (Viação Brasiluso) e descer num desses bairros, como também causava um prazer enorme ir a pé ao Coliseu, era perto.
No Tucuruvi existiam 3 cinemas. Começando pelo Valparaiso, que era um cinema independente, às vezes passava filmes lançados pelo Circuito São Paulo Sul (Olido-Rivoli-Marabá-República), por exemplo: El Cid – Ben Hur – Cleópatra – Spártacus -Suplício de uma Saudade – Imitação da Vida, e mais a perder a conta.. Descendo a Avenida Tucuruvi, na altura da Avenida Mazzei, havia outro cinema (Cine Tucuruvi? - não me lembro o nome); nunca entrei neste cinema; por não pertencer a nenhum circuito, exibia filmes antigos. Bobagem minha, tempos depois descobri que filmes como”Casablanca” e “A Marca da Maldade” passaram por lá. Depois, no inicio da Guapira, havia o Cine Fidalgo, que pertencia ao Circuito Serrador (Ipiranga-Rio Branco-Ouro-Astor-Paissandu) e por lá passaram, entre outros: Laurence da Arábia - A Face Oculta - Bonequinha de Luxo - Duelo de Titãs - Matar ou Morrer - My Fair Lady - O Professor Aloprado (o original com Jerry Lewis) - O Meninão - O Cardeal - Candelabro Italiano e tantos outros.
Quanto à polêmica de ser ou não o maior cinema da América do Sul, não vou entrar nessa. Só acho que tanto o Valpa como o meu querido Coliseu eram, sim, os maiores, pois abrigaram milhares de corações e mentes emocionados e encantados. Estes cinemas eram como estrelas de magnitude tal que, mesmo mortas, têm brilhos que ainda chegam até nós. Esta é a grandeza deles.
O prédio do Valparaiso era meio arredondado, a enorme sala de projeção ficava no meio e, em volta, existiam vários tipos de comércios e serviços: auto-escola – farmácia –lavanderia – lanchonete e uma papelaria, que a gente não esquece jamais, era a Papelaria Valparaiso, quanto material escolar não comprei ali?
Existia no Tucuruvi uma das melhores escolas públicas de São Paulo: o Colégio Albino Cezar (Ginásio-Escola Normal-Clássico e Científico). Uma escola de primeira. Meu irmão fez o Cientifico lá. Neste Colégio havia um grupo de Teatro Amador, gente competente e premiadíssima. Lembro da menina que fazia “A Dama das Camélias”, era uma atriz nata. O Albino também patrocinava esportes, campeonatos, atividades mil.
Gastronomia? Ao longo da Avenida Nova Cantareira, havia, em algumas mansões, casas noturnas, o Fred ou Fred era uma delas. Até hoje, não sei se eram restaurantes ou boites. A coisa ficava por conta da nossa fértil imaginação. Os mais puros afirmavam ser restaurantes chiques de comida internacional, proibidos para nós, misteriosos, e que os fondues e flambados eram servidos à luz de velas.Outros, menos ingênuos e com alguns Carlos Zéfiros a mais na cabeça, juravam ser boites e que, lá pelas tantas, as mulheres dançavam um estranha dança e iam tirando a roupa, peça por peça, até ficarem nuas e pulavam na piscina e os homens, com roupa e tudo, pulavam também. Um delírio total!
Havia também o Mercado Municipal que oferecia qualidade nas carnes, verduras, queijos, azeitonas, frutas e flores. Uma maravilha!
Este era o Tucuruvi dos anos 60 e 70. Hoje está tudo mudado. Há anos não vou lá, moro no interior. Tenho certeza que está bem descaracterizado, irreconhecível.
Faço um apelo ao pessoal do Tucuruvi: escrevam sobre o bairro, contem uma história de (des)amor, daquelas que incendeiam o pessoal todo. O Jaçanã... aliás, o pessoal do Tucuruvi esnobava o pessoal do Jaçanã, pois bem, o Jaçanã tem uma turminha que, quase sempre, escreve sobre o bairro. Vamos lá, gente.

e-mail do autor: advancedtop@uol.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 11/03/2014

HA COMO É BOM PODER FALAR DO DOCE BAIRRO DA ZONA NORTE, TUCURUVI.TEMPOS NOSTÁLGICOS TARDES DE DOMINGO NO VALPARAÍSO, TEMPOS DO PROGRAMA JOVEM GUARDA ASSISTÍAMOS FILMES COMO RITMO DE AVENTURA, 300 KM. POR HORA CHEGUEI ASSISTIR O PRIMEIRO PROGRAMA DE T.V. DO RADIALISTA BARROS DE ALENCAR NO VALPARAÍSO O BARROS DE ALENCAR TAMBÉM MORAVA NA RUA ARAGÃO PULÁVAMOS CARNAVAL NO VAL. EU MORAVA NA CÔNEGO LADEIRA, RUA DA IGREJA MENINO JESUS DO LADO DA CABUÇU. SE TIVER ALGUÉM QUE MOROU LÁ POR VOLTA DE 1964 A 1974 E LEMBRA DO CABEÇÃO ME MANDE UM EMAIL TENHO MUITA SAUDADE DOS MEUS COLEGUINHAS DE INFÂNCIA ALÔ GALERA AINDA ESTOU POR AQUI, E TENHO MUITA SAUDADES TAMBÉM DAS QUERMESSES NA IGREJA ENFIM, TENHO SDS. DE TUDO DAQUELES TEMPOS DE FELICIDADE PURA. ESTUDEI NO SILVA JARDIM E PARQUE VITÓRIA. BRINCAVA MUITO NA RUA PAULO DE FARIA, NADAVA LÁ EM PALMAS DO TREMEMBÉ, PULAVA DE CIPÓ NO HORTO FLORESTAL NOSSA MUITO BOM, MUITA SAUDADE. ( SE EU PUDESSE VOLTAR NO TEMPO/ EU PRECISO VOLTAR NO TEMPO.....) valeu até a próxima.

Enviado por CABEÇÃO - RECASTRO@HOTMAIL.COM.BR
Publicado em 29/04/2013 Poxa que saudades do Tucuruvi,do onibus eletrico,da padaria da Major Dantas Cortez,da feira de sexta feira que eu ia na companhia de meu pai.Da escola estadual Cônego joao ligabue,do prof.de Matematica Péricles,da Prof.Lucia da quarta serie,da diretora,da namoradinha Sandra,dos torneios de ginastica,dos jogos de futebol disputadíssimos com outras escolas.Turminha boa de bola!!! desfile da Semana da Pátria.Nossa diretora Ebi alves moreira da Silveira.Tudo era pura magia.Anos 70 que ficaram bem guardados.A escola era vibrante. Saudades de cada pedacinho de chão que pisei no bairro de Tucuruvi. Enviado por Rubens M.Teles - philaedel_@hotmail.com
Publicado em 23/04/2013 oi pessoal quanta historia bacana do nosso tucuruvi,ainda hoje passei por la,quem poderia imaginar nos velhos tempos que teriamos um shopping center,passei muitas vezes correndo naquela rua onde hoje e a entrsdo do shoping,para pegar o trem das sete.Quanta saudade. Enviado por pedro f oliveira - olipefra@terra.com.br
Publicado em 28/03/2013 Realmente meu caro Marcolino, o cine Valparaiso era verdadeiramente a maior sala de projeções da América Latina. Passei minha vida quase toda no Tucuruvi e assisti muitos clássicos e shows, bem como dancei alguns carnavais! Enviado por Alvaro Souza - alvaro90@bol.com.br
Publicado em 19/03/2013 Eu e minha familia sempre moramos no Turucuvi. Nasci e cresci na região, estudei no Colégio Albino Cesar que era o melhor colegio estadual da Z.Norte de São Paulo. Lá cursei o ginásio e colegial, fiz parte da seleção de voley, utilizei muito a piscina e participei de campeonatos. Tenho muitas saudades daqueles tempos. Lembro-me de um professor "durão", conhecido como Prof. Roma, que inspirava muito temor e respeito aos alunos, era o mais famoso e exigente do Colegio Albino Cesar. Mas compensou tanto rigor. Por outro lado, minha mãe foi professora do Colegio Silva Jardim, na Av. Tucuruvi, durante a década de 60, 70, e era muito querida dos alunos. Ela fará 83 anos neste ano de 2.013, e até hoje ainda encontra ex-alunos quando transita pelos bairros do Tucuruvi e Agua Fria. Quanto ao Cinema Valparaizo, lembro-me bem, era famoso, e também do comercio ao redor do cinema, cujo prédio era no formato de semi-circulo, havendo na parte detráz do terreno um pedaço de morro, com mata nativa. Existia também a unica papelaria que ficava ao lado do cinema, e ainda a auto-escola, a farmacia, e do outro lado da Avenida Tucuruvi, situava-se a padaria e o dentista. Era tudo muito perto e os preços dos produtos acessíveis a todos. Mais para a frente encontrávamos o Mercado Municipal do Tucuruvi, repleto de frutas, verduras, peixes, carnes, queijos, salames, doces tudo muito fresco. E continuando pela Av. Nova Cantareira sentido Bairro Santana, se chegava ao Posto de Saúde (esquina c/R. Ismael Nery) que prestava bom atendimento ao povo e era bastante organizado. Tanto o Mercado Municipal do Tucuruvi quanto o Posto de Saúde, ainda existem e funcionam regularmente. Mais pra frente do Posto, ainda na Av. Nova Cantareira, estava a R. Casa Forte, onde o famoso Doutor Natalino Righeto possuía consultorio, meu médico durante anos, e também havia um casarão de esquina (já demolido), por onde eu passava todos os dias, e me deliciava com as frutas de uma AMOREIRA antiquíssima, existente na lateral do terreno desse imóvel, e de onde pendiam milhares de galhos com grandes amoras pretas e super-doces. Esse trecho da calçada ficava "roxo" de tanta amora que caía. Andar à pé pelos bairros próximos com minhas amigas, era um dos divertimentos mais agradáveis para mim. Era tudo tranquilo. Lembro ainda, que nem todas as ruas do bairro do Tucuruvi eram asfaltadas, quando chovia era um "barro" só, mas ninguém reclamava, era tudo alegria. Outro ponto conhecido e muito frequentado pelos moradores, era o ACRE CLUBE, próximo do Hospital Presidente, cuja área pertencia ao Tucuruvi, mas que nos anos 80 passou a ser chamado de Bairro Jardim França. Fui em muitos bailes no Acre Clube, tanto nos finais de semana, como também em Carnavais inesquecíveis. Inesquecível também, o sitio dos franceses, situado na Av. Nova Cantareira, altura da entrada para o bairro chamado "Palmas do Tremembé", onde, na minha infância e pré-adolescencia, minha familia ia até lá comprar leite tirado "na hora", que era despejado em latões. Essa era uma época de simplicidade, pureza, onde as pessoas ainda tinham uma certa inocencia no jeito de ser, e muito espírito de solidariedade. As familias se mantinham unidas e a religião era matéria obrigatória nas escolas. Se notava um certo "encanto" no ar. Os interesses das pessoas eram outros, assim como também, outros eram os valores de vida. Agradeço a Deus por ter podido viver tempos tão belos em minha vida, que, apesar da simplicidade, foram muito felizes. Abraço a todos (antigos) moradores e ex-moradores do Tucuruvi. Enviado por Rosana - martini_jus@yahoo.com.br
Publicado em 14/03/2013 Falamos muito no cine Valparaizo, quem aqui se lembra daquele espaço antes do prédio do cinema? Era um local arborizado, e todos os domingos naquele pedaço da Av. tucuruvi havia feira livre... eu tinha uns 5 ou 6 anos nessa época.... Enviado por Neide dos Anjos Lazaro - neidedosanjos@yahoo.com.br
Publicado em 12/03/2013 mudei para os predios do ipesp no ano de 1973,estudei no rafael,silva jardim.o primeiro filme em são paulo,foi o exorcista no cine valparaizo.minha irma estudava no colegio ramos de azevedo. Enviado por antonio miguel de santi - miguel.vendas@inovaabrasivos.com.br
Publicado em 12/03/2013 mudei para os predios do ipesp no ano de 1973,estudei no rafael,silva jardim.o primeiro filme em são paulo,foi o exorcista no cine valparaizo.minha irma estudava no colegio ramos de azevedo. Enviado por antonio miguel de santi - miguel.vendas@inovaabrasivos.com.br
Publicado em 11/03/2013 Muito legal esta coluna.
Vivi no Tucuruvi de 1966 até 1978, quando minha família mudou-se para Minas.
Morei na Guapira e, posteriormente na Tanque Velho.
Estudei no Silva Jardim, no Antigo Vila Gustavo, hoje Conego João Ligabue e , por fim, no Albino Cesar. Após minha saida de lá, só retornei em 1985....e notei que, infelizmente, tudo estava mudando. Bem, logo comentarei minhas histórias.
Enviado por welsimer - welsimer@hotmail.com
Publicado em 01/03/2013 NASCI NA RUA BORGES, CONTINUAÇÃO DA AV TUCURUVI, EM 1955.
VOCÊS ESQUECERAM DE MENCIONAR O EDUCANDÁRIOS SÃO PAULO DA CRUZ, DAS IRMÃS PASSIONISTAS, PERTO DA AV. MAZZEI.
PERTO DA ESTAÇÃO TINHA UMA LOJA QUE VENDIA CAFÉ TORRADO E ONDE COMPREI MINHA PRIMEIRA CALÇA RANCHEIRA...RS
ESTUDEI O GINÁSIO NO SILVA JARDIM, ONDE HAVIA A SORVETERIA AO LADO, QUE VENDIA AQUELES SORVETES COLORIDOS DE MÁQUINA.
OS CARNAVAIS NO CINE VALPARAIZO ERA O FINO, ISTO SEM CONTAR QUE FICÁVAMOS NA AVENIDA JOGANDO ÁGUA NAS PESSOAS COM BISNAGAS ENORMES, CONFETES...NUMA ALEGRIA ENORME.
AS CASAS PERNAMBUCANAS E A BURI FICAVAM SEMPRE PERTO UMA DA OUTRA, LEMBRAM?
FIZ PRIMEIRA COMUNHÃO NA IGREJA DO MENINO JESUS NA AV MAZZEI, VINHA LOGO DEPOIS DO ALBINO CÉSAR.
E A PASTELARIA DO CHINES PERTO DA PERNAMBUCANAS? ADORAVA A ESFIHA...RS
JUNTO DA ANTIGA ESTAÇÃO DE TREM, HAVIA UM JORNALEIRO QUE EU ADORAVA COMPRAR HISTORINHAS SEMANAIS.
LEMBRANÇAS DE UM TEMPO BOM MESMO!
Enviado por ibislilian parra salgado - lilipsalgado@hotmail.com