Centro

Bom Retiro

A Luz – bairro em que se instalou o primeiro jardim público da capital - foi decisiva para o crescimento do Bom Retiro, que conheceu o progresso a partir da inauguração da estação ferroviária. Vivia no Bom Retiro uma grande colônia de italianos e portugueses. Eram os famosos “carcamanos”. A origem desse termo é interessante. Contam as más línguas que os vendedores italianos, ao pesarem qualquer mercadoria a que faltavam algumas gramas, ouviam da mama a observação: “Calça la mano, figlio mio”.

Na década de 1880 fez-se o loteamento e a urbanização do bairro do Bom Retiro, processados pelo empresário Manfredo Meyer.

O nome do Bom Retiro surgiu porque o local era procurado por pessoas para o “retiro” de fim de semana.

A partir do final dos anos 30 vieram os judeus fugidos da perseguição nazista. Sua chegada no bairro acentuou-se nos anos duros da Segunda Guerra – 1939 a 1945. Foram eles os responsáveis pelo grande progresso do bairro. Os judeus se tornaram pioneiros na venda em prestações, que deu grande impulso ao comércio da região, principalmente nas ruas José Paulino, da Graça e Barra do Tibagi.

Nos anos 70 os judeus começaram a dar lugar aos coreanos, que assumiram o ramo de confecções. Os coreanos também estão introduzindo e impondo o paladar de suas comidas típicas.

Dia do Bairro: 1º de outubro

Fonte: Subprefeitura Sé; Bairros paulistanos de A a Z – de Levino Ponciano (editora Senac/São Paulo); Site Google